Página Inicial  > Aprenda a calcular o preço de produtos
 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail

Aprenda a calcular o preço de produtos


Precificação justa para o cliente e para o empreendedor garante sucesso nos negócios

Dar preços a produtos é uma atividade decisiva para o crescimento da empresa. Por isso, não adianta ficar no “achismo” ao calcular o valor do produto ou serviço. Outro cenário que precisa ser esquecido é tomar o concorrente como parâmetro de preço, pois isso não gera lucratividade.

A conta para chegar ao valor justo para o cliente e rentável para os negócios é sempre a mesma. Porém, as variáveis mudam caso a caso, alterando valores de ofertas praticamente iguais, conforme explica Ricardo Curado, consultor financeiro do Sebrae - SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).  “Toda a conta deve ser baseada no lucro que o empreendedor deseja obter.”

Além do lucro desejado, outros fatores devem ser considerados na hora de calcular o preço dos produtos, para que a conta não fique salgada nem para você, e nem para o cliente. Veja o que deve ser considerado para chegar ao valor certo.

1 - Custo direto: é o valor dos materiais, matérias-primas e mão-de-obra cobrados dos fornecedores.

2 - Despesas variáveis: são as cargas tributárias, cobradas de acordo com a categoria do empreendedor. Nesta conta entram também as comissões pagas aos colaboradores e representantes de vendas.

3 - Despesas Fixas: todos os gastos com a empresa devem ser calculados nessa categoria, desde os gastos com aluguel, pagamento de funcionários, contadores, água ou luz, até os mais triviais, como materiais de escritório, produtos de limpeza, entre outros. “É de extrema importância anotar cada um desses gastos, só assim o empresário vai ter segurança para fazer os cálculos”, afirma Curado.

4 - Lucros: Este é o valor necessário para cobrir o investimento inicial em um determinado período de tempo. Supondo que foram investidos R$ 25 mil no negócio, para ter um retorno do valor em um ano, é preciso um lucro de R$ 2.083 ao mês, mas se o empreendedor busca um prazo maior para este pagamento, basta aumentar a quantidade de meses e diminuir o lucro.

Após a somatória de todos os fatores, é preciso encontrar o mark up, indicador da porcentagem que deve ser cobrada acima do valor total dos custos para que o lucro seja o suficiente para cobrir os gastos de investimentos. Ele pode ser calculado dividindo o lucro desejado somado às despesas fixas pelas despesas variáveis.

Deve-se levar em consideração, no entanto, que o cliente é quem paga as contas, e que no caso de um produto estar muito acima dos preços médios, haverá queda nas vendas e nos lucros. Para que isso não aconteça é preciso baratear as despesas fixas. Não é necessário deixar de pagar nenhuma conta, mas deve-se aumentar a quantidade de vendas para que o consumidor não seja lesado, e a lucratividade aumente. “Diminuindo o lucro em cima de cada produto, na somatória, o valor ganho será equivalente, e com isso o sucesso do negócio está garantido”, afirma o consultor.

 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail
Avaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas para classificar.