Página Inicial  > Quatro dicas infalíveis para dimensionar o estoque
 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail

Quatro dicas infalíveis para dimensionar o estoque


Selecionamos algumas dicas para você não ter mais prejuízos e também não fazer feio com o cliente

Um problema enfrentado por muitos empreendedores iniciantes é a forma como o estoque deve ser dimensionado para que não faltem produtos, o que pode gerar desconforto com os clientes, ou para que não fiquem parados no estoque, o que significa desperdício.

O estoque nada mais é do que um investimento. E deve ser calculado de acordo com as necessidades reais do estabelecimento. “Quando faltam produtos significa que a expectativa de vendas foi pessimista, quando sobra, foi muito otimista”, explica Marcos Garber, especialista em logística da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado). Por essa razão, não criar expectativas, sejam elas boas ou ruins, mas atenha-se aos dados concretos para investir corretamente.

No caso das micro e pequenas empresas, o estoque é um pouco menos complexo de se calcular, ou dimensionar. No entanto, o menor dos erros pode comprometer a saúde financeira dos negócios. Siga os passos a seguir:

1) Crie formulários: uma boa alternativa para as pequenas empresas é a criação de fichas e formulários que ajudem a organizar o estoque, na falta de um software ou programa próprio, planilhas também podem ajudar;

2) Utilize a experiência a seu favor: analise o dia a dia dos negócios e registre todo o consumo, de forma a construir sua própria experiência de negócios. Dessa forma você vai entender melhor o consumo em diferentes períodos e pode começar a aplicar técnicas mais sofisticadas com essa finalidade.

3) Antes de fazer novas compras, confira o que sobrou do mês anterior: Assim você não vai precisar sempre comprar a mesma quantidade. Se os produtos forem não-perecíveis, você pode fazer a conta de quanto foi comprado no mês anterior, subtrair a quantidade vendida e a diferença é aquilo que você deve comprar neste mês, afinal, se alguns produtos ficaram parados no estoque, não existe a necessidade de ter uma quantidade ainda maior.

4) Faça promoções: em casos de materiais ou produtos perecíveis, faça promoções ou dê descontos. Segundo Marcos, essas ações também podem ser consideradas um investimento, pois incentivam as vendas. Nesses casos, calcule o valor com base no que você gastou, lembre-se: não ter lucro é melhor do que ter prejuízo.

 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail
Avaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas para classificar.