Página Inicial  > Como estruturar o projeto do website de sua empresa
 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail

Outras traduções

Como estruturar o projeto do website de sua empresa

Fonte: Sioux

Quan

Texto de Philippe Capouillez, Diretor Fundador, SIOUX

Há pouco mais de 15 anos, o mercado de Internet ainda era muito amador e a maioria das empresas não tinha um objetivo definido quanto a sua presença na rede. Queriam estar lá, ter seu site, sem nenhuma expectativa clara de retorno. Daquele tempo para cá a relação mercado X internet evoluiu bastante, e hoje o canal é visto como um meio estratégico para construção de marcas, relacionamento e desenvolvimento de negócios. Para planejar a presença de sua empresa na Internet, o primeiro ponto a ser definido é o objetivo do serviço que será prestado – site institucional, comércio eletrônico, publicidade ou relacionamento/comunidade.

Após definido o objetivo é muito importante conhecer as ações que seus concorrentes já desenvolvem, anotar o que vai de encontro ao seu negócio e o que você pode fazer para agregar mais valor ou diferenciar o seu serviço. Tudo isso deve ser consolidado em um documento que futuramente irá compor o briefing (instruções a serem passadas para o desenvolvedor). Com os objetivos e necessidades traçados (preferencialmente detalhados) é necessário definir a estrutura do site, estruturando as principais páginas e módulos do site. Uma forma simples para fazer isso é construir um mapa do site. Segue um exemplo elaborado no Microsoft Office:

 

 

O objetivo do mapa é ajudar a visualizar o site e facilitar a comunicação com a empresa que vai desenvolver o site. Quando for realizada uma reunião de alinhamento de escopo e necessidades do projeto a própria empresa poderá evoluir essa estrutura conforme as definições acordadas.

Estruture o site colocando todos os módulos que achar necessário, mesmo que seja para o futuro porque a internet tem a vantagem de permitir que um site evolua sem precisar começar tudo do zero, desde que bem planejado. Para isso, a empresa que vai desenvolver deve conhecer seus objetivos futuros para modelar o site da melhor forma possível.

Outro ponto que deve ser muito bem pensado é a definição de quais páginas e módulos terão atualização de conteúdo e com qual freqüência isso será realizado. Dependendo do caso é mais interessante que as atualizações sejam realizadas através de um módulo administrativo no qual a própria equipe do cliente alimente o site com novos dados, além de poder alterar os que já estão lá, sem a necessidade de conhecimentos específicos de linguagem de programação.

Com estas informações você está pronto para pedir o orçamento. Tenha em mente que se você chegou à conclusão que não precisa de algo muito elaborado, já existem na internet várias ferramentas e serviços gratuitos para a elaboração de sites, lojas, etc.

Se sua necessidade for mais específica ou requerer soluções customizadas, procure a empresa mais adequada para o desenvolvimento de seu projeto. Pesquise os trabalhos já desenvolvidos e se a estrutura dessas empresas é compatível com o porte e a necessidade do seu projeto. Problemas de incompatibilidade podem ocorrer de ambos os lados e isso inevitavelmente afeta o valor do orçamento. Empresas de maior porte muitas vezes não são as mais adequadas para desenvolver trabalhos mais simples ou com verbas muito pequenas. Eventualmente podem até aceitar o trabalho e terceirizar o desenvolvimento para uma outra empresa menor, aumentando o custo final sem necessidade. Por outro lado, se o seu projeto necessita de estratégias diferenciadas, planejamento específico e detalhado e demandar grande esforço técnico para desenvolvimento, uma empresa de menor porte inicialmente pode ser atraente devido ao custo, mas também pode ser uma grande armadilha. Seu projeto pode triplicar de preço e prazo devido à falta de estrutura necessária para o desenvolvimento.

Uma vez definidas as empresas, solicite no mínimo três orçamentos e analise com critério as propostas comerciais recebidas. Nesse documento é preciso estar claro que a empresa desenvolvedora entendeu o objetivo e o decupou em cada estrutura e funcionalidade proposta. Escolha a mais adequada e faça os ajustes necessários no escopo antes de começarem o desenvolvimento. Critério nessa hora pode gerar economia de tempo no futuro. Projeto pronto. Agora é só esperar as visitas. Errado!

Lembre-se que não é só ter seu site publicado na Internet para que seus clientes comecem a chegar. É importante planejar a divulgação. Um ponto importante a ser pensado ainda na fase de desenvolvimento (bem antes de outras estratégias de promoção) é estruturar o site seguindo algumas técnicas para que ferramentas de pesquisa como o Google consigam entender o conteúdo do seu site e apontá-lo nos resultados de busca. O posicionamento nos resultados de busca pode ser melhorado através do uso de outras estratégias, como o SEO (Search Engine Optimization), mas isso não será detalhado nesse momento.

  • Domínio (www.suaempresa.com.br)

O domínio é gerenciado pelo Registro.br (www.registro.br), empresa responsável pelos registros de domínios para a internet no Brasil. Sugiro que você mesmo faça o registro, pois não demora mais que 20 minutos e lhe garantirá a liberdade para mudar de Provedor ou Desenvolvedor. Não esqueça de guardar bem a senha. Atenção! Durante o registro você precisará informar o DNS e esta informação é fornecida pelo provedor de hospedagem (veja abaixo).
Custo aproximado: RR$ 30,00 por ano.

  • Hospedagem

É onde o seu site será armazenado (também conhecido como provedor). Como esta empresa também é responsável pela sua conta de e-mail e o custo de uma hospedagem simples não é muito alto, escolha com atenção para que não tenha dor de cabeça no futuro com perda de dados. O custo médio de uma hospedagem simples é RR$ 30,00 mensais.

  • Tecnologia

Hoje é comum ouvir falar bem de tecnologias Open Source (código aberto) que são mais baratas e melhores, mas nem sempre é bem assim. Na maioria das vezes as diversas tecnologias desempenham um papel semelhante, mas tenha sempre um parecer técnico de qual é a mais adequada para a sua necessidade. Meu único conselho é utilizar uma tecnologia padrão e não fugir para uma solução proprietária de nenhuma empresa para que você não fique refém da mesma. Hoje as principais linguagens para desenvolvimento de sites são: .Net (Microsoft) e PHP (Open Source). Para Banco de Dados são usadas SQL Server (Microsoft) e My SQL (Open Source) e para sistemas mais robustos é mais comum utilizar Oracle e Java. A tecnologia Flash utilizada na maioria das vezes para conteúdo multimídia pode ser utilizada com qualquer uma das tecnologias citadas acima.

  • Código Fonte

 É um ponto muito polêmico neste meio. Na maioria das propostas não está contemplado o fornecimento do código-fonte do projeto, pois ele representa o know-how da empresa que desenvolveu. É uma transferência de conhecimento (propriedade intelectual) que envolveu um custo significativo no seu desenvolvimento. Eventualmente pode até ser passado para um concorrente. É como se a Coca-Cola desse a fórmula a cada consumidor que comprasse o seu produto. Por outro lado sua empresa pode ficar “amarrada” ao desenvolvedor ou ter de recomeçar do zero caso contrate um novo. Por esses e outros motivos é sempre imprescindível esclarecer esses detalhes antes do aceite de proposta comercial. Caso queira ser o detentor do código fonte isso deve estar claro e acordado para que seu devido valor seja contemplado na proposta.

  •  Estatísticas

O Google Analytics (http://www.google.com/analytics/) é uma excelente ferramenta para você entender as métricas de seu site (número de visitantes, páginas mais visitadas, menos visitadas, etc.) e traçar estratégias para garantir o máximo aproveitamento do canal. O melhor de tudo é que ela é gratuita.

 Pronto. Agora você tem informações e um bom ponto de partida para iniciar o seu projeto. Mãos a obra!

 Compartilhar  Versão para impressão  E-mail
Avaliações (0)
If you are a human, do not fill in this field.
Clique nas estrelas para classificar.